segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Num deserto qualquer
grãos de areia vão cobrindo
um pedaço grande de alguma coisa
que um dia esteve viva.

Eu sou apenas um narrador observador
vejo o que se passa
mas o porquê,
o porquê continua como pergunta

Mas o caso é que há cada vez 
mais e mais areia
querendo, se arrastando para cima
daquela... do que sobrou daquilo

Eu sou apenas um narrador observador.
eu também me pergunto se estaria vivo
se está dormindo
esperando...

O deserto não perdoa incertezas
por isto é bom essa coisa saber cuidar de sim mesma
pois ela esta a mercê de matérias pequenas mas letais
já vi pequenos grãos cobrirem montanhas.

Eu só observo, há muita curiosidade
mas talvez a coisa precise disso mesmo.
exatamente disso.

Esta em mim, 
não sei se morto ou vivo.
mas ela esta onde precisa estar.
coberta de areia.
e talvez seja exatamente isso o que ela precisa.
Grãos de Ampulheta.

raissa leal