sexta-feira, 8 de junho de 2012


Um coração, é, aquele mesmo, utópico, é feito de pedaços. Pedaços do que? De tudo. É feito de pedaços, e cabe a nós juntarmos os pedaços, formá-lo e sorrirmos felizes. Ironicamente, há quem pense que quanto mais rápido juntar ou preencher tais espaços, mais rápido se alcança a felicidade.
As vezes costuma dar certo.
 Mas indo direto ao assunto, na parte que chega a mim, sinceramente? Eu sei lá o que eu penso a respeito de corações vermelhos e quebra-cabeças, as vezes eu acho que dou palpite sobre muitas coisas que desconheço. Eu apenas imagino que é assim e pronto, mas eu conheço meu coração, não o verdadeiro [eca], o utópico, eu lembro de cada pedaço que ele achou, gostou e juntou ou tentou enfiar desesperadamente em alguma lacuna.
Cada um devia saber do seu coração.
E falando de mim, eu costumo achar que sei o que se passa mais ou menos no interior de alguns. Digo alguns porque dizem que há varias pessoas por ai, mas eu não tenho certeza disso.
É UMA COISA QUE NÃO SE PODE EVITAR. É COMO TROMBAR EM ALGUÉM SEM QUERER.
VOCÊ OLHA E JÁ VE DE CARA, OU DE RELANCE OU PARA PRA OLHAR DE NOVO, APRECIAR. É uma coisa bonita de se ver, digo.
Eu vi seu coração, eu vi que uma parte minha era parecida com a sua, eu gostei do que eu vi, mas como eu disse alguns versos acima, eu muitas vezes imagino e dou palpite.
Intuição.
Mas que tem um pedaço meu que cabe certinho no seu aaaa.. 
As vezes eu dou um palpite e acerto.

 raissa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário